Área do representante



Blog - Imeltron

Buscar post:
  
27
MAR

3 Dicas de Como Preparar Seu Próprio Poke Bowl Em Casa    

 

Uma onda que partiu de Honolulu, cruzou o Oceano Pacífico e passou pela Califórnia, parece finalmente ter chegado e atingido o Brasil. Não estou falando de uma onda marítima não, estou falando – no maior dialeto praiano possível – da onda de se comer o Poke Bowl. O Poke Bowl, ou apenas Poke, tem ganhado cada vez mais fama ao redor do mundo e aqui no Brasil não seria diferente. Diversos estados já estão repletos das chamadas “Casas de Poke”, que nada mais são que restaurantes que servem exclusivamente esse prato havaiano.

Poke significa, em havaiano, “cortar em pequenos pedaços”, e seu nome já traduz um pouco do que se trata o prato: porções de peixes, carnes, legumes, vegetais, castanhas e algas bem cortados e misturados no mesmo recipiente compõem essa iguaria da culinária havaiana. A mistura, apesar de simples, é extremamente fresca, leve, saudável e nutritiva, e é por esse motivo que o prato tem conquistado o paladar de quem adora uma refeição completa cheia de sabor, texturas e muito colorido!

Segundo conta a história, o prato seria resultado da influência que o Havaí recebeu de imigrantes americanos, chineses e japoneses que foram para lá trabalhar na indústria do açúcar, no século XIX. O começo da década de 1970 é tido como o registro inicial do primeiro “boom” do prato no Havaí, quando ele era vendido por pescadores nas ruas, em algumas comunidades rurais de Oahu e outras ilhas do arquipélago.

Naquela época, o prato era preparado pelos pescadores como uma forma atrativa de vender mais seus produtos e, por isso, à base de peixes crus. Ele era feito basicamente com pedaços de atum cortados e temperados com sal e chilli, e foi a influência japonesa que incluiu itens como algas e o próprio arroz, que atualmente é um dos seus itens mais característicos. Até hoje, o Poke é extremamente comum no Havaí e por lá você sempre encontra opções mais tradicionais, que servem apenas peixe cru temperado, e também as mais modernas, que servem o prato com algas, arroz, legumes e vegetais.

Por ser uma opção leve e muito nutritiva, logo o prato se tornou queridinho dos surfistas que frequentavam as praias do Havaí e tinham poucos minutos para sair do mar e repor as energias. Os surfistas podiam apreciar um Poke de forma simples, usando apenas os tradicionais palitinhos chamados de hashis, e o prato valia como uma refeição completa e nutritiva para mais algumas horas de treinos e ondas. Não demorou muito tempo para que os californianos, grandes apaixonados pelo surf, conhecessem e se apaixonassem pelo prato enquanto viajavam pelo Havaí em excursões e expedições surfistas. Foram eles os responsáveis por levar o Poke para as praias californianas para que, de lá, ele ganhasse o mundo.

Além dos benefícios nutricionais e da praticidade de se comer uma refeição completa em um só recipiente, o Poke também conquistou o coração do mundo por uma característica facilmente identificada: sua bela e colorida apresentação. Não pense você que, só porque o prato é servido em pedaços e de forma conjunta em um só recipiente, ele é uma bagunça! Muito pelo contrário: a apresentação é essencial e importantíssima para que possamos dizer que determinado prato é um Poke, e não apenas uma tigela com diversos ingredientes no estilo “tudo junto e misturado”.

Apesar disso, não existe muita regra no que diz respeito aos ingredientes utilizados na hora de preparar um Poke. Você pode encontrar Pokes que seguem uma linha bastante tradicional, com apenas peixe cru e temperos, Pokes com proteínas diferenciadas, para que pessoas que não comem alimentos crus possam também aproveitar, como Pokes de frango ou camarão empanado e frito, ou até mesmo Pokes vegetarianos que investem em outras fontes de proteína, como os cogumelos, por exemplo, para a entrega de uma refeição completa.

O grande problema é que, mesmo já tendo ganhado as capitais, muitas cidades do Brasil ainda não encontram restaurantes que preparam esse prato e tem muita gente que sequer ouviu falar dessa deliciosa receita. É por isso que decidi preparar esse post especial contando as origens da receita e também ensinando como prepará-la em casa, de forma rápida e prática.

Para isso, preparei 3 DICAS DE COMO PREPARAR SEU PRÓPRIO POKE BOWL EM CASA. Anote aí!

1. DISPONHA OS INGREDIENTES SEPARADAMENTE. Para evitar que o prato fique confuso, disponha cada um dos ingredientes de forma separada e sempre pensando na combinação final. Coloque cores contrastantes como amarelo e roxo, por exemplo, uma ao lado da outra, para criar um resultado final chamativo e colorido.

2. SEJA CRIATIVO. Não se prenda a padrões prontos e use sua criatividade na hora de montar seu Poke. Vale misturar peixe cru com peixe frito, vale trocar por uma proteína mais comum do nosso dia a dia, como o frango, por exemplo, e vale preparar uma versão inteiramente vegetariana. O importante é incluir ingredientes que de fato sejam importantes e apetitosos ao seu paladar e fazer isso de forma criativa e funcional.

3. TENHA UM RECIPIENTE EXCLUSIVO PARA SERVIR SEU POKE. De nada adianta preparar um prato lindo desses e servir em uma tigelinha sem graça. A alma do Poke é justamente o serviço prático e simples em um só recipiente, e por isso é importante que você separe um belo bowl para servir de base para seu Poke.

Como eu disse, a experiência de se apreciar um Poke começa com sua apresentação e o primeiro item que você deve escolher antes de começar a receita é o bowl. Eu escolhi a saladeira branca da Emile Henry para servir meu Poke de hoje e o resultado ficou incrível! Preferi a saladeira Emile Henry de 15,5 cm de diâmetro, mas a marca possui outras opções com 22 e 28 cm de diâmetro, servindo para todos os gostos e necessidades.

A Emile Henry é uma marca francesa trazida ao Brasil com exclusividade pela Imeltron. Seu grande diferencial está no fato de ser feita com HR ceramic (high resistance ceramic), um material cerâmico de alta resistência que garante uma durabilidade superior, evitando lascas por muito tempo. Além disso, as peças podem ser utilizadas para diversas outras receitas quentes e frias, já que resistem ao choque térmico de -20°C a 270°C e podem ser usadas em forno a gás ou elétrico, micro-ondas e podem ser lavadas diretamente na lava-louças.

A saladeira está disponível nas cores branca e vermelha, que combina muito bem com peixes e frutos do mar e pode render um belo Poke também. Agora é só escolher sua cor preferida e preparar esse delicioso prato havaiano para seus convidados!

INGREDIENTES

1 xícara de arroz pronto
½ abacate
1 filé de frango
Farinha para empanar
½ xícara de milho
½ xícara de tomate cereja
½ pepino
½ xícara de repolho roxo
Amendoim
½ limão
Molho oriental (opcional)

MODO DE PREPARO

Comece preparando o arroz. Você pode utilizar o arroz japonês ou o tradicional, o importante é já estar cozido e frio. Empane o frango dos dois lados e leve ao forno pré-aquecido a 200°C por aproximadamente 35 minutos ou até dourar. Retire e corte em tiras. Corte o abacate ao meio e pingue algumas gotas de limão para não escurecer. Corte o pepino em fatias finas, o tomate cereja ao meio e o repolho em tiras finas. Agora vamos à montagem. Disponha o arroz na saladeira montando a base do prato. Coloque as fatias do abacate, o milho, o tomate, o repolho, o pepino e, por fim, as tiras de frango. Finalize com o amendoim e está pronto.

RENDIMENTO

1 porção.

DICA

Você pode temperar com sal, pimenta rosa, molho oriental, limão ou outros temperos de sua preferência.

 

 

 

Página inicial | Voltar

  • Bialetti
  • BIALETTI CAFE
  • Ghidini
  • Emile Henry
  • Marcato
  • Leonardo
  • Gaggia
  • Luigi Bormioli
  • Cuisipro
  • Imetec
  • Alfi
  • Eppicotispai
  • Packit
  • World Create
  • Barazzoni
  • Bisetti
  • S & P
Imeltron 2013. Todos os direitos reservados.
Voltar ao topo!
Cereja